quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

João Paraibano e Sebastião Dias

1. Quem castiga um inocente
Não tem Deus no coração

Quem bate em criança é
Um tirano desalmado
Inimigo declarado
De Jesus de Nazaré
Um desprovido da fé
Sem chances de salvação
Um monstro sem compaixão
Demônio em forma de gente
Quem castiga um inocente
Não tem Deus no coração
(Sebastião Dias)

Obrigado meu Deus por ter me feito
Nordestino, poeta e cantador


Me criei com cuzcuz e leite quente
Jerimum de fazenda e melancia
Com seis anos de idade eu ja sabia
Quantas rimas se usava num repente
Fui nascido nas mãos da assistente
Na ausencia dos olhos do doutor
Mamãe nunca fez sexo sem amor
Papai nunca abriu mão do seu direito
Obrigado meu Deus por ter me feito
Nordestino, poeta e cantador
(João Paraibano)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário